30 de setembro de 2012

Camembert com frutos secos

Yum
Uma entrada onde todos os sentidos são chamados à mesa.



Ingredientes:
1 queijo Camembert
1 c. chá de nozes
1 c. chá de amêndoas (usei laminadas)
1 c. chá de avelãs
1 c. chá de rosmaninho fresco (sem o talo)
1 c. chá de alecrim fresco (sem o talo)
2 c. sobremesa de mel
flor de sal da Casa do Sal da Figueira da Foz q.b.
algumas folhas de mangericão fresco


Preparação:
Coloque num almofariz os frutos secos e as ervas aromáticas, desfaça e misture bem todos os ingredientes.
Coloque o queijo num prato, faça uns golpes pequenos no topo do queijo e disponha por cima os ingredientes do almofariz. Os golpes servem para que o queijo não insuflar e para os ingredientes se misturarem.
Regue com o mel e tempere com flor de sal.
Leve cerca de 2 minutos ao micro-ondas a 520W.
Sirva decorado com as folhas de mangericão.

24 de setembro de 2012

Partilhas

Yum
amigo
(latim amicus, -i)
adj. s. m.

1. Que ou quem sente amizade por ou está ligado por uma afeição recíproca a. = COMPANHEIROINIMIGO

2. Que ou quem está em boas relações com outrem.INIMIGO
3. Que ou quem se interessa por algo ou é defensor de algo (ex.: amigo dos animais). = AMANTE, APRECIADOR
s. m.
4. Pessoa à qual se está ligado por relação amorosa. = NAMORADO
5. Pessoa que vive maritalmente com outra. = AMANTE, AMÁSIO
6. Pessoa que segue um partido ou uma facção. = PARTIDÁRIO
7. Forma de tratamento cordial (ex.: venha cá, amigo, que eu ajudo-o).
adj.
8. Que inspira simpatia, amizade ou confiança. = AMIGÁVEL, AMISTOSO, RECONFORTANTE, SIMPÁTICO
9. Que mantém relações diplomáticas amistosas (ex.: países amigos). = ALIADOINIMIGO
10. Que ajuda ou favorece. = FAVORÁVEL, PROPÍCIOCONTRÁRIO
[Informal]  amigo da onçapessoa que parece amiga, mas que é falsa ou traiçoeira.
[Informal]  amigo do alheioladrão.
[Portugal, Informal]  fiel amigobacalhau usado na alimentação.

Ontem a minha cozinha esteve cheia de amizade, de conversas, brincadeiras, risos de crianças e adultos, gargalhadas, fofocas, partilhas de experiências, crise, troika, TSU, escola, memórias, troca de saberes e viveres,
e eu tive a felicidade acrescida de partilhar sabores.

e estive com amigos...




As receitas, essas chegarão a seu tempo  :))

21 de setembro de 2012

Bolo de cenoura

Yum

Ainda ia a meio do corredor e já ouvia a balbúrdia que reinava na única sala de porta aberta. O corredor era longo e ainda despido de folhas, desenhos, recados, mas a luz bailava fácil e dava-lhe um ar bastante agradável e alegre. 
Quando chegou à porta parou e ficou a olhar.

Os miúdos falavam alto, em grupos de 2 ou 3, contavam as peripécias das férias, com grande entusiasmo; esbracejavam e iam fazendo gestos para descrever melhor o que contavam. Era fácil de perceber o que contavam, tão grande era a energia que transmitiam aos movimentos que os seus corpos desenhavam. Só um se destacava, encostado a uma das grandes vidraças da sala. Sozinho, de ar zangado, sobrolho franzido e braços cruzados. Estava zangado, isso era óbvio.

Shhhhh!” - Disse alguém entretanto.
De repente fez-se silêncio, como se alguém tivesse carregado no botão do “sem som” de um comando, e todos olharam para a porta. Lá estava ele: o novo professor. Alto, com uma bengala na mão.
- Bom dia. – Disse ele, entrando na sala e dirigindo-se para uma mesa de madeira velha que estava na ponta oposta à porta.
A viagem até à mesa, a que o caruncho tinha claramente feito muitas cócegas, foi acompanhada pelo olhar de todos os meninos, todos de boca aberta, sem emitir um som, e avaliando claramente a pessoa que entrava na sala e na vida deles. O único som que se podia ouvir era o da sua perna que teimava em roçar o chão, impossibilitada de se dobrar normalmente.
Pousou a sua mala de pele castanha escura envelhecida em cima da mesa, encostou a bengala na cadeira, apoiou-se na mesa e disse:
- Olá a todos o meu nome é José Horta, e sou o vosso novo professor. Podem sentar-se nos vossos lugares.
Nesta altura ouviu-se passos apressados no corredor em direcção à porta, e de repente, um miúdo chocou contra a ombreira da porta, aproveitando que esta servisse de travão para parar em frente à sala. Ofegante, ali estava um miúdo de rosto castiço e afogueado, sorriso aberto, cabelos espetados e despenteados.
- Olá Professor, bom dia! Eu sou o Cenourinha! Desculpe o atraso mas a manhã foi um bocadinho complicada! O despertador da mãe não tocou, o carro não quis pegar! Quase parecia um filme a minha manhã Professor! – Apressou-se a dizer enquanto entrava e se dirigia a uma das mesas com um dos lugares ainda vago.
- Bem-vindo Cenourinha… – cumprimentou-o o professor enquanto sorria para si, com a imagem daquele miúdo que mais parecia um turbilhão, tão rápidos foram os seus movimentos, enquanto falava e se movia. 
E foi assim que num qualquer dia de Setembro, se iniciava um novo ciclo.....



Bolo de Cenoura



Ingredientes (rende 16 quadrados de 4cm):
150g de cenoura
150g de açúcar
2 ovos
120ml de óleo 
120g de farinha de trigo com fermento
manteiga e folha de papel vegetal para forrar forma

Preparação:
Ligue o forno a 180ºC. Unte uma forma quadrada de 18x18cm e forre com papel vegetal.
Descasque as cenouras e pique-as na picadora. Junte às cenouras, as gemas, o açúcar e  o óleo e passe tudo com a varinha mágica até obter uma massa homogénea.
Numa tigela coloque a farinha e junte o preparado de cenoura, envolvendo bem.
Bata as claras em castelo firme e junte ao preparado anterior, com cuidado, mexendo com movimentos circulares, sem bater, até que esteja bem ligado.
Deite a massa obtida na forma e leve ao forno a cozer durante cerca de 30 minutos, ou até que esteja cozido.
Nota: Para verificar se o bolo está cozido, espete um palito de madeira no centro do bolo; se o palito sair sem massa agarrada o seu bolo está pronto.

 Pedacinhos de vitaminas!

6 de setembro de 2012

Cook it simple....

Yum
keep it simple, and yet so, so good.

Cozinhar um prato simples, de uma forma simples, mas ainda assim sendo uma refeição maravilhosa, deve ser dos maiores desafios para um cozinheiro, seja ele amador ou profissional.

Foram o caso destes banais bifes de peru, que viraram estrelas quando se vestiram de um sal muito especial.


























Ingredientes (4 pessoas):
4 bifes de peru
Sal artesanal para grelhados da Casa do Sal da Figueira da Foz (sal artesanal aromatizado com alho, alecrim e oregãos)

Grelhe os bifes. Coloque-os numa tábua de madeira e polvilhe com o sal artesanal a gosto, e depois delicie-se.



Bom Apetite!
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...